Editor_2

PALAVRAS DO EDITOR

Alegre expectativa
TVoltaram, então, os pastores glorificando e louvando a Deus por tudo
o que tinham ouvido e visto, como lhes fora anunciado (Lucas 2.20).

Com esta edição, nós entramos em minha época favorita do ano. Gosto muito de músicas e de filmes de Natal. E amo o significado teológico mais profundo dessa estação: que Deus irrompe na história humana para mudar a nós e nossa vida. O Advento nos convida a esperar a ação de Deus. 

Para mim, uma imagem memorável, de alegre expectativa, vem de um cachorro de um amigo meu – um enorme e alegre Golden Retriever chamado Lutero. Uma manhã, quando Lutero e seu dono caminhavam perto de onde eu moro, uma coisa incrível aconteceu: um esquilo caiu de uma árvore bem na frente de Lutero. Tudo que ele tinha a fazer era atacar. (O dono de Lutero conseguiu salvar o esquilo desajeitado, apesar de seu mau momento.) Depois disso, todas as manhãs, quando Lutero se aproximava daquele local, ele tremia de excitação, mantendo os olhos fixos na árvore da qual o esquilo havia caído, procurando outro presente incrível.

O Advento convida-nos a uma expectativa intensa semelhante, esperando que Deus apareça em lugares e modos inesperados. Às vezes, as maneiras pelas quais as dádivas de Deus caem em nossa vida nos surpreendem e nos encantam. Às vezes, elas vêm mais silenciosa e sutilmente. E, às vezes, as tornamos reais apenas com um esforço considerável. Deus surge de mil maneiras.

E se nós, assim como os pastores retratados no versículo, esperarmos que Deus apareça? Nossos escritores testemunham a incrível verdade de que Deus vem até nós – várias e várias vezes. Ao ler as meditações desta edição, que você possa ver como Deus está agindo em sua vida neste Natal.

Mary Lou Redding
Ex-diretora Editorial
The Upper Room
Share by: