Filhos do Coração

  • By Kelly Simoes
  • 21 Dec, 2017
5 FEVEREIRO

Leia Efésios 4.25-32

Abraão, contra toda esperança, em esperança creu, tornando-se assim
pai de muitas nações, como foi dito a seu respeito: “Assim será a sua
descendência”. Romanos 4.18 (NVI)*

Em maio de 2004, eu e minha esposa decidimos entrar na fila de candidatos
à adoção de uma criança. Passados todos os trâmites legais no Juizado da
Infância e da Juventude, em apenas seis meses, fomos chamados para ser pai e mãe
de coração de não apenas uma criança, mas de um casal de irmãos biológicos. Com
garra, fé e coragem, acolhemos as crianças em um jogo rápido: nós demos amor e recebemos em dobro.
Mas, em dezembro de 2011, nossos filhos amados foram arrancados injustamente
de nós. Mais tarde, viemos a saber o motivo: uma atípica denúncia caluniosa de
maus tratos e agressão física contra os filhos que partiu da senhora minha mãe,
pois ela nunca aceitou a adoção dos netos e, muito menos, meu casamento com
minha esposa. Tempos depois, minha filha confirmou a mentira da avó, que acabou
servindo de embasamento para o arquivamento penal originado, assim me inocentando.
A partir dessa experiência, percebemos que há um propósito divino, ação do
poder de Deus, intercessão do Espírito Santo com livramento e, principalmente,
o aprendizado de que pais e filhos estão se amando e se perdoando muito mais.
Nós recorremos às instâncias superiores do Judiciário brasileiro, que, mesmo
com toda a morosidade e frieza, está ajuntando os cacos de uma família destruída.
Passados mais de cinco anos de tormento, nossos filhos nos chamam, reafirmam
o amor por nós e são categóricos ao afirmar que nunca escolherão outra família.
Nossos filhos sabem nossa luta por eles e que nunca os abandonaremos. Estamos
todos esperançosos na justiça divina e, ainda, acreditando que o Judiciário não será
omisso e nos restituirá o poder familiar. Somos prova viva de que o amor venceu.

Oração:  Envia-nos, ó Pai de bondade, neste instante, um raio de tua divina luz. Que ela
nos mostre, sempre, o caminho reto que nos conduz aos pés do grande e amado
Mestre Jesus. Em nome de teu Filho. Amém.

Pensamento para o dia:  Assim como não há bem que sempre dure, também não há mal que nunca acabe.
Oremos pelos casais que desejam adotar crianças.

| Marlon Francisco Leonardelli (Caxias do Sul, RS)
Share by: