Uma viúva e uma ave

  • By Kelly Simoes
  • 31 Oct, 2017
11 DEZEMBRO

Leia Lucas 18.1-8

Disse-lhes Jesus uma parábola sobre o dever de orar sempre e nunca
esmorecer. Lucas 18.1

D urante meu horário de almoço, eu frequentemente saio para um
passeio junto ao rio Swan. Uma vez, no final da primavera, algo
chamou minha atenção. No alto de uma árvore próxima, um cauda-de-
-leque-de-garganta-preta*(um pequeno pássaro australiano) atormentava
um corvo preto, um tanto grande. Presumi que o passarinho estava preocupado
com a segurança de seu ninho e estava defendendo seu território
da maneira mais agressiva possível. Em contraste, o corvo muito maior
parecia bastante aborrecido com toda a agitação. No entanto acabou por
se cansar do incômodo e voou para uma árvore vizinha, vigorosamente
perseguido pelo cauda-de-leque-de-garganta-preta.
Ao refletir sobre o episódio, percebi que eu tinha acabado de testemunhar
um exemplo de persistência diante de uma possibilidade aparentemente
insuperável. Também me dei conta de que, assim como o pequeno
pássaro, podemos ser confrontados com situações que parecem insuperáveis.
Na leitura de hoje, Jesus usa o exemplo de uma viúva persistente
para nos lembrar de que não devemos desistir de levar nossos pedidos a
Deus. Nosso Pai celestial está pronto para responder aos nossos clamores
de socorro.

Oração:  Amado Senhor Jesus, ajuda-nos a persistir na oração mesmo quando a
situação parecer sem esperança. Em teu nome. Amém.

Pensamento para o dia:  Deus recompensa minha oração persistente.

Oremos pelos viúvos.

| Bill Gosling (Austrália Ocidental, Austrália)

Assine e Leia diariemente 
Share by: